Arte Hermética has the purpose of artistic expression beyond the traditional means used (painting, sculpture, literature, poetry, dramaturgy among others) mainly in the forms of expression of the unconscious, diving in deeper strata of the human psyche, whose frontier is the Unknown. When a internal goal-processing takes place, doubtlessly we have become Hermetics.

SOCIEDADE LAMATRONIKA - Página Oficial / Official Page

Photobucket - Video and Image Hosting

Profile from Cláudio César de Carvalho

Desde a minha infância eu sempre estive de alguma forma em contato constante com as forças alienígenas sutis que cercavam o ser humano no seu ambiente astral que por vezes se reflete no seu mais íntimo. Posteriormente, estava travando meus contatos com estas energias de forma mais consciente e profunda, focando imagens estranhas que habitavam o vasto campo do subconsciente e de uma região Cósmica. Além disso, eu sempre gostei de filmes macabros e revistas góticas que de alguma forma influenciaram meus desenhos diretamente, esses desenhos começavam quase incertos, no entanto, sempre tomavam formas ainda nos primeiros esboços.
Eu tinha várias comunicações com essas inteligências, que eu retratava-os em vários esboços, mas infelizmente, estes se perderam não permanecendo qualquer cópia disponível.
Naquela época, meu pai me estimulou em continuar com os contatos com essas Inteligências, uma vez que acreditava piamente na existência delas, vindas do Espaço Exterior.
Contudo, foi em 1982 que eu tive o primeiro contato com um homem chamado Aleister Crowley através do livro chamado Fronteiras do Desconhecido, publicado pela antiga Readers Digest. No entanto, somente alguns anos mais tarde é que tive uma associação mais próxima com o material Crowleyano.
Por volta de 1985, eu pude ver com certo espanto e atração um maravilhoso desenho do “Black Eagle” feito por Austin Osman Spare e publicado em uma velha revista chamada Planeta (sua edição original em francês chama-se - Planète), este encontro foi muito importante para mim, em ambos contextos mágico e artístico. No mesmo ano, eu tive também uma associação especial com o Tarô e as suas lâminas, principalmente em referência ao Tarô de Thoth que foi elaborado e pintado por duas pessoas importantes no métier oculto, Aleister Crowley e Frieda Harris, a bela e complexa pictografia me fez amar suas ricas lâminas a primeira vista.
No início dos anos 90, fui iniciado por uma Alta Sacerdotisa da Antiga Religião, portanto este evento abriu Portais importantes para meu universo mágico, a fim de lidar com determinadas entidades dos antigos caminhos. Enquanto isso, minha arte já estava mais densa e foi levada para outro patamar devido ao fluxo abundante que provinha da Corrente 93 e Zos Kia Cultus. Assim, este fluxo abriu uma nova fase de transfiguração das linhas em tons P & B nos meus desenhos.
Em 1996, me casei com uma artista excepcional e filósofa. Ela me orientou no campo artístico para que eu pudesse me aperfeiçoar nos detalhes de precisão e harmonia de meus traços, apesar da assimetria perceptível inserida na minha arte. Desde então, Lília Palmeira, vem gerenciando minha arte para novos modelos de trabalho.
Em 1998, minha arte tomou novas dimensões para que eu pudesse perceber a irradiação de uma poderosa Corrente na qual sempre estive em contato, ainda que não estivesse ciente disso. Esta é conhecida na Tradição Oculta como “Emanação Transplutoniana”, a sua existência é eficaz desde tempos imemoriais. Por volta desse período tive os meus primeiros contatos com a Ordo Typhonis (formalmente Ordo Templi Orientis Tifoniana, e nos planos internos é conhecida como Ordem Tifoniana Oculta). Em uma carta particular de Kenneth Grant, ele falou sobre sua opinião em relação a minha arte: “... é muito forte, e mostra um sutil senso de atmosfera”.
Ele enviou-me um panfleto anunciando uma publicação, na época, de seu mais recente livro sobre AOS chamado Zos Speaks! Encounters with Austin Osman Spare para o meu aperfeiçoamento na Arte Oculta. Foi uma grata surpresa quando recebi a sua resposta. Desde então, fui me familiarizando com a arte de Austin Spare para que eu materializasse de fato a minha entrada no Zos Kias Cultus, ou seja, trilhando Seu impulso e irradiação.
Hoje, vejo que a minha arte seguiu em paralelo a minha carreira mágica de modo que é um fato evidente para mim. Devido a minha rendição a determinados planos pude fazer o uso correto do grafite e do nanquim. Meus desenhos exibem em determinado momento um automatismo perfeito de uma forma direta, sem a interferência da mente, para que a existência dos traços manifeste uma pureza que é traçada pelo meu Anelo, Vontade e Crença, assim e somente por este meio minha arte revela os reinos oníricos ou ambientes astrais de diversos planos.

Meus desenhos retratam as camadas mais profundas da minha mente subconsciente, assim, cada imagem contém formas prenhes de espíritos que necessitam de pentáculos para se manifestarem na trama do papel a fim de servir como complexa base auxiliando suas manifestações, a partir do invisível para o visível. Os traços são manifestados e dirigidos por forças tangenciais, de modo que se situam entre mundos oblíquos. A partir dessas paisagens distantes e estranhas continuam a surgir de linhas improváveis ​​que eu chamo como algo fora de controle, além das restrições de nossa personalidade ou ego, eis que surge o “Fantástico Atmosférico Tangencial”.
__________________________

Since my childhood I always had been of some way in constant contact with subtle alien forces that surrounded the human being in the astral ambience or innermost of him/her. Afterwards, I was revealing my contacts with these energies more conscious and a deep way, focusing strange images that inhabited the vast field of the subconscious. Also, I always liked of macabre films and gothic magazines that of some way influenced my drawings directly, these drawings started almost uncertainty, however, they always finished taking forms still in the first sketches.
I had several rapports with these Intelligences, I had been portrayed them in various sketches, but all had unfortunately been lost, thus I don’t have any available copy.
At that time, my father stimulated me to get more contacts with them so that he believed on existence of Intelligences coming of Outer, piously.
In 1982 I got the first contact with the man called Aleister Crowley through the book so-called Fronteiras do Desconhecido (maybe it were translated to the English as Frontiers of the Unknown) published by Reader’s Digest. However, it was a few years later that I got a closest association with the Crowleyan material. I could see with certain amazement and attraction a wonderful “Black Eagle” drawing done by Austin Osman Spare and published on an old magazine so-called Planeta (its original issue is French – Planète) this meeting was very important for me both in magical and artistically contexts. Meanwhile, I got also a special association with the Tarot and its sheets, mainly in reference to Thoth Tarot Cards elaborated and painted by two important persons, Aleister Crowley and Frieda Harris, it shows a wonderful and complex pictography of which I loved at first glance.
In early 90s, I was initiated for a High Priestess of the Old Religion, wherefore this event opened important Gateways in order to deal with determined entities of the Ancient Ways. Meanwhile my art already was denser it was led forth for the abundant flux coming of 93 Current and Zos Kia Cultus. Thus, it opened a new phase of transfiguration of the lines and tones in W&B on my drawings.
In 1996, I was married an exceptional artist and philosopher woman so that she orientated me in the artistically field aiding me to perfect the details in precision and harmony, despite of perceptible asymmetry enclosed on my pictures. Since then, Lília Palmeira, comes managing my art towards new models of working.
In 1998, my art took new dimensions so that I could perceive the irradiation of a powerful Current which I had always been in contact whilst I was unaware of it. It is so-called in the Occult Tradition as “Transplutonian Emanation”, its existence is effective since immemorial times. Around that time I got my first contacts with the Typhonian O.T.O. (Ordo Templi Orientis or Order Typhonian Occult). In a particular letter of Kenneth Grant, he spoke about his opinion concerning to my artwork: “It is very strong, and shows a fine sense of atmosphere.”
He sent me a pamphlet announcing a publication, at the time, of his newest book about AOS so-called Zos Speaks! Encounters with Austin Osman Spare for my improvement in the occult art. It was a grateful surprise as I received his reply. Since then, I was becoming acquainted with the art of Austin Spare so that I materialized in fact my entrance in the Zos Kias Cultus, that is to say, treading Its impulse and irradiation.
Today, I see that my art followed in parallel my magical career so that it‘s an evident fact for me. Due to my surrender I can delivery a correct use to both black lead and ink pen, my drawings appears by a perfect automatism disclosing of a direct way without interference of the mind there being a pureness that is traced for my Wish, Will and Belief, thereafter my art discloses in fantastical onirical kingdoms.
My drawings portray the layers deepest of my subconscious mind, thus each image will count pregnant forms of spirits which need of pentacles to take form into each paper serving as a complex base aiding their manifestations, from the unseen to the visible. The traces are manifested and directed by tangential forces so that they are situated between oblique worlds. From these distant and strange landscapes they continue to arise of unlikely lines what I call it as something out of control, beyond ours restrictions or “Fantastic Atmospheric Tangential”.


 ______________


Exposições e Publicações  –

Exposição OmphalosMagickal Moot em Bath, Inglaterra, 2004.
Exposição do primeiro Omphalos.
Artwork: Three in One: The Wizard, The Unseen and the Cunning Man, Spring Equinox/Três em Um: O Feiticeiro, O Invisível e o Advinho, Equinócio da Primavera, 2004 
To see the artwork, visit: Fantástico Atmosférico Tangencial


Silver Star Magazine, Issue 08, Fall Equinox, 2007.
Artwork: Formula Atavística da Reversão dos Sentidos/Atavistic Formula of Revesion of the Sethian Senses


Silver Star Magazine, Issue 10, Fall Equinox, 2008.
Artwork: The A'Azagor's Spirit or The Christ Blackmith's Skull/O Espírito de A'Azagor ou O Crânio do Cristo Ferreiro


Silver Star Magazine, Issue 11, Spring Equinox, 2009
Arwork: SEKHMET


Artwork: Omphalos, Its Manifestation/Omphalos, Sua Manifestação (pg.19)


Exposição A Insolência das Janelas. Performance poética em Castelo de Asgard, Sintra, Lisboa, 2011.
The the names of each frame, follows from left to right: Sabbatical Dance; Reflection; The A'Azagor's Spirit; Atmospheric; Pangenator; Niharlathothepian Invocation and Iannus. 



Artwork: THE BLACK EAGLE (S/D)
Texto: A Short Optical About The Zos Kia Cultus/Uma Breve Ótica sobre o Zos Kia Cultus





PILLARS II – The Golden Eitr. Montreal, Canadá, 2013.
Artwork: PANGENATOR (2004)
Escrito: The Seed of Achamot/A Semente de Achamot (Poema inspirado/Inspirational Poem)



Artwork: Voudon Atavism
Escrito: The Triumph Of Death/O Triunfo da Morte



Nenhum comentário: